Goatsbeard

Três espécies de flores selvagens (goatsbeards) foram introduzidas nos EUA, sendo provenientes da Europa logo após a virada do século. Poucas décadas depois as populações se expandiram e se encontraram. Em todas as ocorrências de população mista, os híbridos geravam descendência infértil. Mas no começo dos anos quarenta apareceram duas novas espécies. Embora fossem similar em aparência aos híbridos, elas produziam descendência fértil (22 de fev, 1989, Scientific American).

As novas espécies da planta chamada goatsbeard ou salsify surgiram nas regiões próximas de Palouse, ao sudeste de Washington. As novas espécies de goatsbeard surgiram devido um mecanismo natural chamado poliploidização, muitas plantas são poliploidizadas tais como trigo, algodão e uma planta chamada fireweed (também apresentada por muitos como sendo uma prova da evolução, mas pelas mesmas razões da goatsbeard). Este processo gera mais de duas cópias de cada cromossomo já existente e é bem comum entre plantas. Segundo estudos do botânico Doug Soltis, o processo ocorre devido mudanças ambientais que fazem com que as plantas gerem erros na produção de polens, este mecanismo não depende de isolamento entre a nova população e a população original, pois o processo é instantâneo, ocorre de uma geração para outra, e a mudança do número de cromossomos é o fator que impede que a nova geração cruze com a geração anterior. Na Europa o surgimento de novas espécies não ocorreu provavelmente devido o isolamento geográfico entre as espécies e outros fatores ambientais e climáticos (como, por exemplo, o tipo de solo). Também é observado que a nova geração com número de cromossomos diferente pode surgir do cruzamento de espécies diferentes ou mesmo a partir de uma única espécie. No caso das goatsbeard, segundo observações de Marion Ownbey (o primeiro a observar o surgimento de uma nova espécie de goatsbeard) e Doug Soltises, constatou-se que uma das duas novas espécies surgiu em 20 ocasiões diferentes e a outra em 13 ocasiões, tudo em um período de sessenta anos, e admite-se que há boas possibilidades do processo ter ocorrido mais vezes que o constatado, portanto, ao que tudo indica, esta capacidade de gerar facilmente variações já esta contida nos genes de qualquer goatsbeard, é própria de sua natureza, tanto que é a principal planta usada para se estudar o processo de poliploidização, não houve nada de novo para a espécie, além disto, seus genes não apresentam nada de novo com relação às gerações anteriores, os novos cromossomos são simplesmente cópias dos já existentes.